No #DinheiroNaConta​ do último dia 19 de Janeiro, Juliana Causin conversou com a nossa Diretora Técnica e Estratégica em Cold Chain do Grupo Polar, Liana Montemor, que conta como a entrega da vacina pode ser feita com qualidade.

É preciso analisar o processo como um todo, baseado na especificação do produto, ou seja, o detentor do registro (fabricante da vacina). Ele irá nos informar a faixa de temperatura correta a ser mantida o produto, como por exemplo, de 2°C a 8°C ou negativa; e também o tempo necessário para este transporte.

O controle dessa temperatura é feito por um sistema passivo ou ativo. Containers refrigerados ou caixas com elementos refrigerantes (gelos) são um dos exemplos de sistemas, os quais passam por uma qualificação para garantir a especificação correta durante toda a cadeia logística, até que o produto chegue no seu destino, seja para um paciente final ou um novo fabricante.

Você quer saber mais sobre o que foi abordado nessa entrevista?
Acompanhe na íntegra no canal MyNews, clicando aqui!

Veja todas as soluções do Grupo Polar no site: www.grupopolar.com.br
#VacinaJá

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here