Bom, se você vai viajar, seja para dentro do país ou para fora dele, é essencial que siga algumas orientações imprescindíveis, em especial se tem uma doença crônica ou se está em algum tratamento específico.

Para facilitar a sua vida, preparamos esse artigo especial sobre o tema.

Nele, daremos as dicas de quais remédios levar em uma viagem internacional, bem como os procedimentos a serem realizados nessa situação, e também as regras para fazer o percurso com segurança.

A ideia é ajudá-lo a realizar o transporte de medicamentos da maneira correta no avião e assim evitar transtornos para você e para os seus acompanhantes.

Vamos à leitura?

Quais remédios levar em uma viagem internacional?

Se você vai fazer uma viagem internacional, é importante que leve alguns medicamentos imprescindíveis para eventuais problemas de saúde que surgirem.

Considere que sem eles você corre o risco de ter que ir ao médico no exterior para conseguir uma receita.

Para te ajudar, considere levar em uma farmácia pessoal medicamentos para enjoo, dor de cabeça, má digestão, febre, anticoncepcional, cólica, resfriado. Coloque esses medicamentos dentro de uma nécessaire na sua bagagem de mão.

Como transportar medicamentos de uso contínuo?

A seguir você vai conhecer todas as regras para o transporte de medicamentos especiais como os medicamentos contínuos e controlados.

1 – Tenha em mãos a prescrição médica

Essa medida é importante em voos nacionais, mas pouco frequente a cobrança. Na dúvida, vale a pena levar.

É uma forma de se respaldar e mostrar que de fato precisa utilizar aquele medicamento (principalmente se você está levando mais de uma caixa do mesmo medicamento).

Observação:A prescrição médica assinada por profissional competente poderá ser solicitada nos casos em que a quantidade não seja compatível com a sua estada no país ou que se caracterize comércio ou prestação de serviços a terceiros. 

2 – Em voos internacionais, dois cuidados adicionais!

Você precisa ter em mãos a receita médica, o nome do paciente na receita deve ser o nome do passageiro, escrita em inglês e a Nota Fiscal de compra para comprovar boa procedência do medicamento.

Isso porque as normas sanitárias variam de fronteira para fronteira e é essencial que qualquer autoridade possa identificar as informações.

É imprevisível se irão ou não te pedir, na dúvida, leve sempre que possível em inglês para evitar riscos.

Observação: Leia sobre as regras sanitárias do país que vai visitar antes de embarcar!

3 – Leve os remédios na bagagem de mão

Ao levar os remédios na bagagem de mão você evita possíveis transtornos com extravios e avarias e facilita a conferência no caso de uma inspeção.

4 – Transporte apenas a quantidade necessária

É importante que leve apenas o que será utilizado no voo e durante a viagem.

Inclusive, a receita irá determinar a posologia e esta servirá como base de avaliação do fiscal, pois a receita determina as quantidades corretas a serem usadas pelo paciente.

Portanto, recomendamos que evite transportar quantidades muito acima do necessário para a ida, permanência e retorno da viagem.

Outra dica é: Procure transportar o medicamento em sua embalagem original. Isso passará maior segurança para o fiscal que é um produto de origem lícita.

Fique atento! Em voos internacionais, os líquidos, por exemplo, precisam estar em frascos com no máximo 100 ml de capacidade.

A regra é válida para xaropes, cremes, pomadas e spray.

5 – Siga as normas da Anvisa

A Anvisa recomenda que os medicamentos em voos sejam acondicionados em embalagem plástica vedada e transparente e na caixa original.

A ideia é facilitar a inspeção dos funcionários do aeroporto.

Regras para o transporte de medicamentos refrigerados em viagens internacionais

A primeira coisa que precisa fazer para transportar medicamentos em voos internacionais é se informar sobre as exigências dos órgãos fiscalizadores dos países que irá visitar e as regras para transporte no site da cia aérea.

Dito isso, vamos agora a algumas regras básicas?

1 – As companhias aéreas não estão autorizadas pela Anvisa à acondicionar o medicamentos de seus passageiros na geladeira do avião, portanto, o medicamento deve ser transportado com o passageiro.

Comunicar a companhia aérea que levará consigo medicamentos de uso especial e transporte refrigerado.

No dia do embarque, deverá levar o medicamento devidamente refrigerado, portando documentos médicos (receita) e é recomendado levar uma bula e receita médica e/ou relatório (para doenças crônicas especificas ) na língua do país de origem.

2 – Transporte de medicamentos refrigerados: deve ser realizado em bolsa térmica própria com gelox (gelo químico – mantido previamente por mais de 12 horas em congelador). Calcule se o número de horas do voo, está conforme a capacidade de transporte da sua bolsa e dos gelox, a viagem não deve exceder o tempo de segurança da bolsa e do gelox. Procure vedar bem a bolsa térmica ou caixa de isopor  que contém o medicamento a fim de  evitar troca de calor com o meio externo.

Observação:Importante evitar o contato direto do gelo reutilizável com a caixa do medicamento.

Essas foram as dicas e regras para o correto transporte de medicamentos em avião.

Se você vai viajar, procure se atentar a elas e garanta um percurso livre de transtornos!

Ficou alguma dúvida ou você já passou por alguma experiência e gostaria de compartilhar com a gente? Não deixe de comentar aqui embaixo e deixar sua dúvida!

Bolsa térmica desenvolvida pra você que precisa organizar seus medicamentos controlados. Muito espaçosa, possui bolsos na frente e nas laterais para o seu medidor de glicose, caneta lacetadora, colírios, hormônios e etc. Qualificada pelo laboratório Valida para garantir a temperatura de 2°C a 8°C por até 12 horas.


FONTE: BIOTECH LOGÍSTICA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here